UPDATE 26/05/2015

Foi lançado um novo trailer!

 

Eu nunca perguntei o seu nome.

– Max… meu nome é Max.

E é assim que começa o trailer de Mad Max, o jogo que está sendo desenvolvido pela Avalanche Studios, produtora de jogos como por exemplo o Just Cause 2, que lançou a pouco tempo o primeiro trailer do jogo Mad Max mostrando gráficos incríveis, jogabilidade com muita ação, alto nível de personalização de personagens e carros e ao que parece… OPEN WORLD.

  • Segundo o trailer, no jogo você começa com nada. Seu carro, sua família e sua vida… tudo foi roubado de você, tudo que resta é sua vontade de sobreviver.å
  • A primeira coisa que você deve fazer é construir um novo carro.
  • A base do carro é chamada de Magnun Opus (Grande obra em latin) e durante a sua jornada você poderá personalizar e fazer upgrades em seu veículo do jeito que você quiser.
  • Você poderá se equipar com armas e equipamentos para ter alguma chance contra seus inimigos, bem como avançar em sua força e nas habilidades de seu personagem.
  • Enquanto munição é bem escassa, haverão muitas outras armas que você poderá usar que causará tanto dano quanto.
  • Você poderá viajar pelos desertos em buscas de recursos que poderão ser utilizados para realizar seus upgrades no veículo e equipamentos.
  • Aqueles que tem recursos mandam no mundo. Você poderá atacar caravanas de grandes “Warlords” e roubar.
  • Para sobreviver não poderá ter piedade… em mad max, não existe brecha para ter uma consciência.
  • Apesar desse ambiente, você encontrará outros que estão na mesma situação que você, mas querem apenas sobreviver, fazer aliança com essas pessoas o ajudarão a ter os recursos necessários para a sua vingança.
  • No jogo você terá que suportar as dificuldades do ser humano, mas também terá que enfrentar a fúria de uma natureza imprevisível. Tempestades de areia e tempestades elétricas podem acontecer a qualquer momento.

O jogo será lançando para PC, PS4 e XB1.

O jogo está bonito e trás a temática em que Fallout tanto se inspirou, um mundo caótico com poucas leis, muitas terras secas e destruídas e claro… trazendo a tona o pior do ser humano. Não podia deixar de aparecer aqui!

Estamos no aguardo!

Confira o trailer abaixo:

Após mais de 20 anos a sequência de Wasteland é lançada pela InXile.

Aqui está o trailer de lançamento:

Wasteland 2 não é só aguardado por fãs do jogo original, mas também pelos fãs de Fallout 1 e 2 que a muito tempo aguardam um sucessor que imponha o devido respeito a todas as horas de diversão jogadas nesses jogos, e ao que parece o time da inXile conseguiu entregar pois o jogo acumula reviews positivos e com altas notas:

Você pode encontrar o jogo na Steam por R$ 69,90, GOG como Classic Edition por $29,99 e Deluxe Edition por $49,99

A InXile disponibilizou antes em PDF o manual do jogo que vai vir impresso para aqueles que comprarem a cópia física do jogo.

Clique na imagem abaixo para visualizar:

waste

Com a proximidade no lançamento do Wasteland 2, a empresa desenvolvedora do jogo, inXile lançou um trailer muito bom explicando sobre o combate no wasteland 2.

Precisa dizer que está bonito? Veja você mesmo!

Segundo Brian Fargo no Twitter o lançamento do jogo está confirmado para o dia 19 de setembro:

Official Wasteland 2 release date… September 19th! The 20+ year wait is soon over.

Com suas próprias palavras, a espera de mais de 20 anos finalmente irá acabar… Aguardando ansiosamente! Por: — The Chosen

Veja um trecho da entrevista abaixo:

Você acha que o sucesso de Fallout ocultou o Wasteland? O que você pretende fazer com a continuação de Wasteland?

Não existe dúvida de que Fallout  ocultou o Wasteland; Fallout tornou-se uma grande franquia e os fãs de Fallout 1 e 2 estavam querendo um jogo como o Wasteland 2 a muito tempo!  Eles gostam da tática de combate, de ler, do reflexo de suas ações no jogo e etc. Eles já vinham protestando com tochas por um jogo desse tipo. Fallout mostrou como um grande jogo apocalíptico pode ser.

Vai haver alguma continuidade entre o Wasteland original e o Wasteland 2?

Vai haver uma tremenda quantidade de referências. Nada me deixa mais chateado do que quando eu vejo a sequencia de um filme, um livro ou um jogo e eu me pergunto “Será que eles leram alguma coisa do primeiro?” Logo no início da cara do jogo você vai ver o General Vargas, cujo nome era Snake Vargas no primeiro jogo, Angela que era a Angie. Você reconhecerá os personagens… os mesmos locais estarão lá. Existem até áreas que se você jogou o primeiro jogo e por acaso se lembrar do Password e digitar ele ainda funcionará 25 anos depois! Nós amamos esse tipo de coisa e pode ter certeza que entupimos o jogo desse tipo de referência.

Uma das coisas engraças que mais gosto no primeiro jogo era uma coisa chamada Paragraph Manual (Manual de parágrafo). Nós tínhamos um monte de textos que não cabiam em um disquete, então, quando ficávamos sem espaço para alguma coisa nós colocávamos no manual. Nós tínhamos uma história sobre uma invasão marciana lá. Era uma história hilária sobre os aliens vindo em suas armaduras Verchitin. Nunca aconteceu no jogo, mas tínhamos um monte de gente correndo para todo lado no jogo procurando pelos marcianos. Então, no Wasteland 2, nós vamos referenciar essa invasão marciana, como um cara que ficou louco porque nunca achou uma armadura de Verchitin. Então qualquer pessoa que jogou o primeiro jogo mas trapaceou e leu os parágrafos fora de ordem vai adorar isso.

O jogo vai ser acessível até para aqueles que não jogaram o primeiro?

Sim, a idéia das referências ao anterior deve ser como um conteúdo extra. Até na primeira conversação com o Vargas, você pode digitar “Snake” e ele vai falar: Oh, ninguém me chama desse jeito a anos!”. Você pode falar sobre personagens e eventos do primeiro jogo e ele vai te manter atualizado sobre essas coisas. Para a pessoa que não jogou a anterior, ela não se importará com essas coisas, e isso foi feito justamente para quem se importa e jogou o anterior. Gastamos muita energia nisso mas temos a certeza de que foi a coisa certa a se fazer.

Veja a entrevista completa aqui (em inglês)

Screenshot bacana Clique para expandir

screenshot2

 

Brian Fargo revelou a abertura do Wasteland 2 na MCM London! Confira o vídeo abaixo:

Born a man, died a Desert Ranger!

Old school. É clichê. Se você já jogou alguns dos primeiros jogos do Fallout você vai sentir ondas de nostagia atravessar seu corpo enquanto você  jogar esse RPG Squad Based  ambientado numa devastação pós-apocalíptica. Pode-se dizer que esse jogo é mais uma continuação do Fallout 2 do que o próprio Fallout 3, o que é um fato interessante uma vez que o primeiro Fallout foi o sucessor espiritual do primeiro Wasteland. Essa sensação do passado trás um gameplay satisfatório, o que raramente vemos hoje em dia, mas também pode ser uma fonte de problemas em potencial uma vez que o jogo se rende a mecânicas arcaicas que muitos jogos deixaram para trás a anos

A comparação com os antigos Fallout é justa, mas a crítica as mecânicas antigas foi desnecessária uma vez que o objetivo do jogo e do próprio kickstarter é a produção de um jogo nostálgico baseado nos estilos de jogos da época do Fallout. Se essa fosse uma questão a se avaliar nesse caso o jogo deveria receber uma nota muito baixa, pois, em matéria de mercado, criar um jogo baseados nos RPGs de antigamente com visão isométrica hoje em dia é considerado por praticamente todas as distribuidoras um tiro no pé no quesito de vendas, uma vez que esse estilo de jogo não é mais produzido hoje em dia.

Fallout 2 e Wasteland 2 – World map travel

fallout-map

Fallout 2 e Wasteland 2 – Combate

fallout-combat

wasteland2

Strategy Informer: Para você, o que define um bom RPG?

Brian Fargo: Escolha e consequência sempre foi muito importante para mim. Não precisa ser mágica, porém quando não importa o que você escolhe e acaba sempre no mesmo lugar sem nada mudar as pessoas começam a notar rápido e se decepcionar sabendo que a escolha delas no jogo não significa nada. Para nós é apenas uma questão de, ‘O quão profundo poderemos ir?’ Você não pode pegar cada situação para a sua conclusão natural porque haveria um número infinito de cenários em que poderia acontecer de tudo, mas nos precisávamos mergulhar o mais profundo possível com o objetivo de que as escolhas dos jogadores importassem.

Outra coisa é que sempre acreditei de que a jornada em si é a recompensa ao invés de apenas a sua conclusão. Quero ter que tomar decisões que desafiem minha moral de um jeito que você tenha que literalmente dilacerar seu cérebro entre a decisão correta ou a decisão que você faria; para então você poder ver o resultado de suas ações.

Uma das coisas que estamos experimentando em Wasteland 2, que eu não vi muito em outros jogos, é pensar, ‘O que significa o fim do jogo?’ Não quero dizer algo como você morre e fim de jogo. Quero dizer algo tipo: Aqui o jogo acaba, e se torna algo diferente e os créditos passam. Então, estamos experimentando algo como diferentes finais dependendo do que você quer fazer.

Eu estou OK com a existência de um fim de jogo que acontece rápido aonde quem fez esse final rápido perdeu outras 40 horas de conteúdo do jogo, afinal de contas, esse foi o resultado dela ter escolhido esse caminho no jogo. E deixamos claro que isso vai acontecer se você for seguir o mesmo caminho, mas adivinha? Esse foi o caminho que VOCÊ escolheu. A beleza do role-playing game é justamente a possibilidade de jogar de maneiras diferentes e conseguir resultados diferentes. Para mim, essa é a parte divertida. Eu gosto de brincar dizendo que os finais diferentes podem ser os finais “não heróicos”.

Strategy Informer: Com tudo que está acontecendo e mesmo com todo o talento que você tem que gerenciar ainda assim deve ser bem difícil.

Brian Fargo: Eu acredito que esses role-playing games mais complexos estão entre as coisas mais difíceis de se fazer; é quase como se eu estivesse na sala de edição de dez filmes ao mesmo tempo e todos eles interagem entre eles. Tem tantas partes que se movem que você vai de segmento em segmento porque simplesmente não dá pra deixar todas as informações dentro da cabeça ao mesmo tempo. Esses jogos são extremamente complexos e ao mesmo tempo as pessoas esperam que essa complexidade seja discretas e quase despercebidas. Pode se considerar uma arte colocar isso tudo junto; fico feliz que eu já faço isso por muito tempo porque não imagino alguém ser capaz de pular dentro de um projeto assim sem nunca ter trabalhado em algo do tipo antes.

Traduzido e adaptado por The_chosen

Wasteland 2, um jogo ambientalizado no bom e melhor estilo de Fallout (mas não se enganem pois Wasteland foi inspiração para Fallout), está recebendo bons e justos reviews de grandes sites de avaliação de jogos.

Neste post farei um resumo dos principais pontos de cada review:

Calm Down Tom

– Suas escolhas visivelmente afetam o mundo. Um exemplo é quando você recebe dois chamados de SOS em locais diferentes mas você só pode atender e salvar um deles. Visitar o outro local depois você verá as consequências de sua escolha em não ter optado por ajudar aquele local.

– Os desenvolvedores estão sendo muito transparentes e não estão escondendo nada. Eles sabem que o “Early Acess” é realmente o que promete, o jogo ainda apresenta alguns bugs, texturas faltando, e lentidão em vários tipos de configurações diferentes de pc.

 

MMORPG.com

– Do primeiro minuto que você começa a jogar Wasteland 2 você percebe que este é um trabalho feito pelo amor aos clássicos cRPG (Computer RPG) e visão isométrica.

– As semelhanças com o Fallout tradicional saltam da tela! Para aqueles tem que tatuado no braço R.I.P. VAN BUREN, Wasteland 2 parece um pedido de desculpas escrito a mão e manchado de lágrimas.

 

Dealspwn

Apesar de ter o nome da sequencia de Wasteland, há um sentimendo de que estamos vendo na verdade uma continuação do Fallout 2 que nós poderíamos ter se as coisas não tivessem ocorrido como ocorreram com a Interplay. Não surpreende notar que este é o jogo que ele estava querendo fazer por quase 1/4 de século!

Os detalhes do jogo, a enorme quantidade de vozes gravadas para ambientalizar o jogo, as descrições detalhadas do ambiente, objetos é fácilmente notável e o que se espera de um clássico do tipo Text Adventure fazem do jogo uma experiência vívida.

Esses foram alguns dos reviews (adaptados a esse post) aplicados ao Wasteland 2. Aparentemente o jogo está agradando a todos e com certeza este que vos escreve está ansioso para poder por as mãos no jogo finalizado e redondinho.

Escrito por:The_chosen

Conteúdo intelectual adaptado do blog de Wastelands 2.

VBR - The Vault of the Broken Dreams
Fallout, Fallout 2, Fallout Tactics pertencem a seus respectivos titulares Black Isle e Interplay (ou seja lá em que pé anda o processo judicial com a Bethesda). Fallout 3 e New Vegas pertecem a Bethesda.

Todo conteúdo exibido neste site é de simples divulgação e tudo pertence a seus respectivos donos.